terça-feira, junho 05, 2018

Sugestões Maio 2018

Por esta altura as edições sucedem-se a um ritmo impressionante e eu tento não perder a passada. Já sabem que podem ouvir parcial ou totalmente clicando nos títulos dos discos. Siga!

The Buttertones - "Midnight In A Moonless Dream"














Esta pandilha californiana retorna um ano após "Gravedigging", sonho húmido para fanáticos de noites de Halloween. Desta feita, inclinam-se mais para o thriller de acção, de preferência a preto e branco, com óptimos resultados. As referências vagueiam tal como no anterior, entre o surf-noir, os Cramps, Gallon Drunk, Flaming Stars, Scientists, Nick Cave, Gun Club, o mestre Morricone entre outros. Destaque para o saxofone, cada vez mais um elemento preponderante na sua sonoridade.

Big Ups - "Two Parts Together"














Cotados como uma das bandas mais criativas do panorama post-hardcore, os Big Ups apresentam o seu terceiro longa-duração e como seria de esperar não desiludem. Um constante balançar entre partes agressivas e outras mais tranquilas, com piscadelas de olho ao math-rock e às melodias imprevistas dos Pinback ou June of 44.


Hit Bargain - "Potential Maximizer"














No seguimento de diversas bandas com costela punk irritadas com a administração Trump, mas que não se ficam pela repetição de clichés do género (Downtown Boys, Priests), os Hit Bargain são mais um belo exemplo a adicionar a esta nova vaga. Nas suas fileiras militam elementos dos Pains of Being Pure At Heart, Cold Beat, These Are Powers , North Highlands e Beach Fossils.

ILL - "We Are ILL"














Estreia em grande desta banda feminina oriunda de Manchester, cuja sonoridade arty-punk-funk remete para as Slits, Kleenex, Delta 5, X-Ray Spex com um dose extra de saudável loucura / experimentação e cujo teor lírico é bem evidente porque razão destaquei o facto de serem mulheres no inicio este parágrafo.

Landing - "Bells In New Towns"














Os Landing já andam nestas andanças vai para 20 anos e curiosamente só agora (creio eu) tomei conhecimento da sua existência. Este registo de espinha dorsal psicadélica, deriva com facilidade e surpreendente qualidade para outros territórios onde figuram bandas tão estimulantes quanto os Yo La Tengo, Low, Bardo Pond, My Bloody Valentine, Blonde Redhead, Cranes entre outros.


Malphino - "Visit Malphino"














Mais um exemplo de que a cumbia está em alta é a estreia desta misteriosa formação sediada em Londres, que acrescenta uma boa dose de exótica neste refrescante cocktail sonoro ideal para noites quentes de Verão.

Parquet Courts - "Wide Awake"














Se "Human Performance" a estreia na mítica Rough Trade não me convenceu, dois anos volvidos, os Parquet Courts surgem com as baterias recarregadas e apesar de não se desviarem da sua usual sonoridade post-punk (o que é bom!),  não se escusam em abrir mais o leque de influências a outras paragens.

Lawn - "Blood On The Tracks"














Na senda dos registos de estreia editados este mês, neste caso em cassete, eis mais um exemplo a cargo da dupla Lawn, sediada em Nova Orleães, da qual é parte integrante o baixista/vocalista de nome tão luso Rui de Magalhães. Tanto é jangle-pop como post-punk, tanto é Feelies como Flaming Groovies, Television, Jonathan Richman ou Women.


The Sea And Cake - "Any Day"














Novo registo desta veterana banda de Chicago que ao longo de uma carreira com um quarto de século de existência, não se desvia da sua fórmula sonora assente numa pop onde coabitam a melodia e a componente experimental com apontamentos folk e jazz. "Any Day" não sendo o melhor da sua discografia, inclui inúmeros momentos de alto quilate como "Cover The Mountain" ou "I Should Care".

Varsity - "Parallel Person"














O segundo álbum dos Varsity, é um exemplo perfeito para servir de banda-sonora a umas férias com sol e praia à mistura, graças às suas melodias indie-twee-pop com a dose certa de melancolia para contrabalançar o excesso de açúcar. Não é por acaso que já os inclui numa "Summer Mixtape"!

Terra Pines - "Terra Pines"














Provenientes de Brisbane na Austrália, o trio Terra Pines acaba de editar o seu poderoso homónimo disco de estreia que pode ser descarregado gratuitamente. A própria banda descreve a sua sonoridade de grungegaze e sludgepop, algo com o qual facilmente concordamos e louvamos.


Yonatan Gat - "Universalists"














Um dos discos mais bizarros que tive o prazer de ouvir neste ano é sem dúvida este "Universalists" da autoria de Yonatan Gat (Monotonix), uma preciosa fusão de noise-math-rock com surf, flamenco, inúmeros samples retalhados, colaborações vocais, contribuições de várias partes do globo, num todo que se revela deveras entusiasmante.

Just Mustard - "Wednesday"














Uma das maiores surpresas deste corrente ano são os irlandeses Just Mustard com o seu disco debutante "Wednesday", mescla de noise-rock e shoegaze com uma produção crua à Albini, uma tensão latente presente em todas as faixas e a espaços a recordar os seus conterrâneos Girl Band.


Tracyanne & Danny - "Tracyanne & Danny"














A colaboração entre Tracyanne Campbell, a encantadora voz dos Camera Obscura e do seu amigo Danny Coughlan dos Crybaby, é o primeiro registo sonoro após o inesperado falecimento de Carey Lander, outrora baixista da banda escocesa e melhor amiga de Tracyanne. Phil Spector, cancioneiro Bacharach, Velvet Underground, Nancy & Lee, soul-pop são alguns dos ingredientes deste cativante disco com produção de Edwyn Collins.


Lithics - "Mating Surfaces"














O rótulo post-punk que amiúde é usado possui uma abrangência tal que por vezes já nem sei ao certo onde começa e termina mas no caso dos Lithics é sem dúvida bem empregue. "Mating Surfaces" é um disco conciso, sem gorduras, com a dose certa de funk e ruído sacado da No Wave.

segunda-feira, maio 28, 2018

Edu (Mouco) Cover Sessions: Rolling Stones



01 – Walter Lure and The Ramones – Street Fighting Man 02 – Johnny Dowd – Mother’s Little Helper 03 – The Bamboos – Can’t You Hear Me Knocking 04 – Goo Goo Dolls & Lance Diamond – Bitch 05 – Blind Boys Of Alabama – I Just Want To See His Face 06 – Chris Farlowe – Paint It Black 07 – Mary Wells – Satisfaction 08 – Sharon Jones & The Dap-Kings – Wild Horses 09 – Arif Mardin – Sympathy For The Devil 10 – Ananda Shankar – Jumpin’ Jack Flash 11 – Alice Russell – Brown Sugar 12 – Hawkwind – Gimme Shelter 13 – Buffalo Tom – The Spider And The Fly 14 – Beta Hector – Angie 15 – Soup Dragons – I’m Free 16 – Devo – Satisfaction 17 – Luna – Waiting On A Friend 18 – Come – I Got The Blues 19 – Johnny Harris – Paint It Black

terça-feira, maio 15, 2018

Edu (Mouco) & Mar Superior Present "Songs From The Old House #11"

01 - Verve - "A Man Called Sun" 02 - Paul Quinn & The Independent Group - "The Damage Is Done" 03 - Julian Cope - "Head Hang Low" 04 - Weekend - "Sleepy Theory" 05 - Spell - "Rosemary's Baby" 06 - Nadia Schilling - "Kite" 07 - Sonora Pine - "Weak Kneed" 08 - Haley Heynderickx - "The Bug Collector" 09 - Andrew Bird - "A Nervous Tic Motion.." 10 - Gravenhurst - "Song Among The Pine" 11 - Boduf Songs - "This One Is Cursed" 12 - Tim Buckley - "Phantasmagoria In Two" 13 - Woven Hand - "Swedish Purse" 14 - Bedhead - "The Dark Ages" 15 - Seam - "Inching Towards Juarez" 16 - Durutti Column - "Messidor"

terça-feira, maio 01, 2018

Sugestões Abril 2018

Mais um mês, mais uma rodada de sugestões!

Bambara - "Shadow On Everything"














Com uma sonoridade cada vez mais refinada, o terceiro álbum dos Bambara prossegue um trilho sonoro onde cabem referências como os Birthday Party, Gun Club, Gallon Drunk, Sixteen Horsepower, num disco deveras empolgante a cargo de uma banda merecedora de um maior reconhecimento.

Candace - "New Ruins"














Dreamy-shoegaze-pop é a receita para o segundo disco das Candace, outrora denominadas por Is/Is. Não passa por aqui nada que não estejam já familiarizados, contudo "New Ruins" cai bem graças a uma forte componente melódica e a uma produção no ponto.

Ganser - "Odd Talk"














Surpreendente disco de estreia desta banda oriunda de Chicago com um pé no post-punk e outro no art-rock. "Odd Talk" é ruidoso, é sombrio, é frenético, é sarcástico, é um disco do caraças!

Jjuujjuu - "Zionic Mud"














Após vários anos a reunir gravações no deserto californiano, os Jjujjuu apresentam o seu disco debutante "Zionic Mud", com todos os ingredientes para se tornar num dos melhores deste ano no que ao psicadelismo diz respeito.

Say Sue Me - "Where We Were Together"














Já começam a dar que falar os coreanos Say Sue Me e não é para admirar pois "Where We Were Together" seduz facilmente qualquer ouvido com a sua fusão surf-indie-shoegaze-pop.

Sonido Gallo Negro - "Mambo Cósmico"














O terceiro álbum deste colectivo mexicano é uma curte de principio ao fim! Por entre cumbias psicadélicas, mambos e especiarias sonoras de vários cantos do globo, "Mambo Cósmico" é garantia de boa disposição e muito menear de anca!

SLAC - "Demonstration"














Disponível para descarregar gratuitamente, estas gravações (demos) dão a conhecer ao mundo os SLAC, banda hardcore / noise de Tallahassee na Flórida, capaz de agitar as vossas ideias em apenas 10 minutos. Curto mas intenso!


Gumming - "Human Values"














Os Gumming de Richmond na Virginia, apostam numa fusão noisy-no wave-hardcore com uma intimidante voz feminina. Se Guerrilla Toss ou Cocaine Piss vos diz alguma coisa então descarreguem livremente e não se irão arrepender!

Partials - "Glossolalia"














Da mesma cidade que viu nascer os R.E.M. e os B-52's, os Partials também são provenientes de Athens na Geórgia, contudo a sua sonoridade está mais orientada para o território dos LCD Soundsystem, Talking Heads com pinceladas de afrobeat, um toque de psicadelismo e os olhos na pista de dança. Curiosamente recordam-me os igualmente recomendáveis Phenomenal Handclap Band.

Minami Deutsch - "With Dim Light"














"Trip" assegurada a cargo destes cósmicos japoneses. "With Dim Light" está mais solto e diversificado que o anterior registo homónimo mais focado no kraut. Regressam em breve ao nosso país para conferir ao vivo no Woodstock 69 no dia 13 de Maio.

Charnel Ground - "Charnel Ground"














Este rótulo de "super-grupo" raramente cumpre as expectativas criadas pelo nome dos seus elementos, mas quando estamos perante músicos como Chris Brokaw (Come, Codeine, New Year), o imparável Kid Millions (Oneida) e o James McNew (Yo La Tengo), dificilmente a pintura será borrada. 5 temas instrumentais que oscilam entre o drone, noise, tex-mex, math-rock e pysch-kraut que sacia qualquer apreciador das suas bandas originais.

Bush Tetras - "Take The Fall"














Veterana banda surgida naquela Nova Iorque da No Wave, Mutant Disco e Punk-Funk, retornam às lides discográficas com este ep composto por 5 incisivas faixas que projectam uma banda plena de confiança e vontade de mostrar ao mundo que ainda estão para as curvas.


Blues Lawyer - "Guess Work"














O breve mas sumarento "Guess Work" é obra dos Blues Lawyer, banda de Oakland mas que facilmente poderia ser conotada com a Nova Zelândia dado o seu lo-fi-indie-rock puxar a brasa ao catálogo da Flying Nun, mas igualmente aos Modern Lovers, Feelies e Devo.

terça-feira, abril 17, 2018

The Beatles Covered!




01 - "Wild Honey Pie" - Pixies 02 - "Help!" - The Damned 03 - "From Me To You" - Del Shannon 04 - "Happiness Is a Warm Gun" - The Breeders 05 - "Let It Be" - Nick Cave 06 - "Norwegian Wood" - Cornershop 07 - "Michelle" - The Free Design 08 - "Here Comes The Sun" - Nina Simone 09 - "Eleanor Rigby" - Ray Charles 10 - "I Am The Walrus" - Lord Sitar 11 - "I Want To Hold Your Hand" - Al Green 12 - "Torno in Russia (Back in the USSR)" - Montefiori Cocktail 13 - "A Day In The Life" - Brian Auger 14 - "Hold Me Tight" - The Treasures 15 - "Dear Prudence" - Siouxsie & The Banshees 16 - "You Can't Do That" - Andy Ellison 17 - "There's a Place" - Flamin' Groovies 18 - "Getting Better" - Wedding Present 19 - "I Feel Fine" - The Ventures 20 - "Strawberry Fields Forever" - Candy Flip 21 - "Obladi Oblada" - Pop Five 22 - "We Can Work It Out-Hey Jude" - Killer Watts

terça-feira, abril 03, 2018

Sugestões Março 2018

Num mês que aparentava ter muita parra e pouca uva, diria que na sua recta final o cenário mudou de figura e acredito que uns quantos ficaram de fora, mas a seu tempo tratarei de os mencionar devidamente a par de outros que não foram ainda destacados desde o inicio do ano.
Já sabem que para ouvir parcial ou totalmente, basta clicar no titulo. Enjoy!


Cavern of Anti-Matter - "Hormone Lemonade"














Tim Gane (Stereolab) e comparsas prosseguem no trilho kraut que tão bons resultados obteve no anterior "Void Beats / Invocation Trex". Só pela extensa faixa de abertura "Malfunction" merecia obrigatoriamente uma menção, mas há muito mais para explorar.

Seun Kuti & Egypt 80 - "Black Times"















Dando credibilidade ao ditado de que "filho de peixe sabe nadar", o mais novo do clã Kuti prossegue as pisadas do seu pai, o malogrado Fela Kuti, na denuncia de corrupção e outros males que assola a Nigéria e um pouco por todo o mundo, apoiado pelos Egypt 80, uma imparável máquina de ritmo que outrora acompanharam o seu pai.

Sidi Touré - "Toubalbero"














"Toubalbero" é o quarto registo deste conceituado músico oriundo do Mali para a Thrill Jockey, numa tendência bem mais eléctrica que os anteriores, resultado de uma jovem banda de apoio. Mais um bom exemplo do "rock global" que tem surgido no continente africano.

The Breeders - "All Nerve"














Terceiro álbum que a banda edita neste século e definitivamente melhor que "Title TK" e "Mountain Battles". Para tal contribui o facto de ser a mesma formação que gravou o icónico "Last Splash" e aquela produção crua do "POD". Um regresso que se saúda.

The Messthetics - "The Messthetics"














A secção rítmica dos influentes Fugazi, Joe Lally e Brendan Canty, unem a sua química ao guitarrista de jazz / experimental  Anthony Pirog e o resultado é um viciante e estimulante disco instrumental que incorpora diversas nuances sonoras sem nunca se fixar em nenhum delas.

Whyte Horses - "Empty Words"














Após a agradável surpresa com "Pop Or Not" (2015), os mancunianos Whyte Horses regressam com mais um colorido cocktail pop elaborado a partir de variados ingredientes. À falta de adjectivos para os classificar diria que soam ao cruzamento entre os Belle & Sebastian e os The Go!Team.


Yo La Tengo - "There's A Riot Going On"














Com uma abordagem diferente assente em muitas horas de gravação retalhadas de modo a formular canções dignas do seu cancioneiro, os Yo La Tengo editam um disco mais intimista e ambiental mas sempre com aquele selo de garantia que faz deles uma das poucas bandas na qual acredito piamente que nunca irão editar um mau disco e este está a muitas milhas de o ser.

Mauscovic Dance Band - "Down In The Basement EP"














Com o carimbo de qualidade da Soundway surge o primeiro ep desta formação radicada em Amesterdão cuja sonoridade vem rotulada de uma fusão de cumbia com ritmos afro-caribenhos e space-disco, ao qual acrescentaria laivos mutant-disco do catálogo da fundamental ZE Records.

Peggy Gou - "Once"














Se porventura é raro ver exemplos de música electrónica de cariz mais dançável nas minhas sugestões não significa que tal não suceda, e para o provar apresento-vos o ep "Once" desta coreana a residir em Berlim que em apenas 3 faixas toca numa data de bases (electro, house, techno, leftfield disco e ritmos africanos) de forma convincente!

Rose Mercie - "Rose Mercie"














As Rose Mercie são um quarteto francês que finalmente edita o seu primeiro longa-duração. Sim, nota-se a influência das Electrelane assim como de outras bandas post-punk lideradas por vozes femininas, contudo existe por aqui criatividade mais do que suficiente para serem motivo de destaque.

Altin Gün - "On"














Tal como a Mauscovic Dance Band, os Altin Gün estão radicados igualmente na capital holandesa e partilham os préstimos de Nic Mauscovic, todavia a sua sonoridade versa a folk de contornos psicadélicos turca numa tentativa bem sucedida de recuperar velhas melodias às quais adicionam elementos de outros géneros, resultando numa nova vida para estas canções.

FACS - "Negative Houses"














Das cinzas dos Disappears, formação post-punk outrora louvada por aqui, surgem os FACS que a meu ver prosseguem com uma matriz sonora similar à anterior banda, à qual adicionam uma componente mais experimental sempre num ambiente sombrio e sufocante entre os Swans e os The Cure.

Sons of Kemet - "Your Queen Is A Reptile"















Convertido à causa após um delirante concerto na edição de 2016 do Milhões de Festas, o novo registo dos Sons of Kemet, liderados pelo inovador Shabaka Hutchings e com o imponente selo da Impulse, é um disco politizado onde o jazz, soca, afrobeat, dub e até grime são matéria-prima para um disco que decerto figurará em muitas listas dos melhores deste ano.


Holy Wave - "Adult Fear"
















Os psicadélicos texanos Holy Wave editam o seu terceiro álbum com os teclados a comandar amiúde as operações em temas envoltos numa bruma algo melancólica,  letárgica e sonhadora, a espaços a tender para o shoegaze.

segunda-feira, março 26, 2018

Global Sounds Vol.4



01 - "Persian Love" - Holger Czukay 02 - "Soweto" - Malcolm McLaren 03 - "Yere Faga" - Oumou Sangaré 04 - "Afro-Blues" - Orlando Julius & The Afro Sounders 05 - "Bamako" - Songhoy Blues 06 - "Papigo" - Kocani Orkestar 07 - "Popilation Basse-Terrienne au Abois" - Ti Celeste 08 - "Big Band La Sonné" - Jean-Michel Cabrimol 09 - "Negra Leono" - Miguelito Valdés 10 - "I'm Running (Nya Fehe)" - Ibibio Sound Machine 11 - "Bark And Bite" - Fool's Gold 12 - "Mindkilla" - Gang Gang Dance 13 - "Fa'waka, Pt. 1" - Dany Play